Single post

Alimentos ricos em colesterol não estão na lista negra

Essa afirmação está em um estudo publicado no jornal BMJ Open dos Estados Unidos e comandado pelo médico cardiologista Dr. George V. Mann M.D. diretor associado do estudo de Framingham para a incidência e prevalência de doenças cardiovasculares (CVD),  em que tem como principal objetivo demonstrar que não precisamos nos preocupar com esse nutriente.

Isto significa que os ovos, a manteiga, as nozes, o óleo de coco e a carne foram agora classificados como seguros e foram oficialmente removidos dos nutrientes da lista de alimentos que causam malefícios ao organismo.

A maioria do colesterol em você é produzido pelo seu fígado. O cérebro é composto principalmente de colesterol. É essencial que as células nervosas funcionem. O colesterol é a base para a criação de todos os hormônios esteróides, incluindo estrogênio, testosterona e corticosteróides. Colesterol elevado no corpo é uma indicação clara que mostra o fígado do indivíduo está em boa saúde.

A pesquisa revelou ainda que o colesterol não causa e nem agrava doenças cardíacas. Sendo assim, os autores pediram uma reavaliação das diretrizes para a prevenção de doenças cardiovasculares e aterosclerose, um endurecimento e estreitamento das artérias, porque “os benefícios do tratamento com estatinas foram exagerados”.

Em resposta ao novo estudo, o Comitê Consultivo das Diretrizes Dietéticas do EUA, não mais advertirá as pessoas contra o consumo de alimentos ricos em colesterol e, em vez disso, se concentrará no açúcar como principal substância da preocupação dietética.

Isso não quer dizer que a preocupação com o controle dos índices não deve ser feito. O que ficou provado é que usar medicamentos para diminuir os níveis do colesterol não é a melhor estratégia, a alteração do estilo de vida é a forma mais importante de alcançar uma boa qualidade de vida.

 

Dra. Juliana Lobato
Médica – CRM-MT 6918
RQE 3649

Leave a Comment